O Procon-MG apresentou em sua sede, na última terça-feira, 25, o veículo-laboratório móvel, que será o mais novo instrumento de fiscalização da comercialização de combustível em Minas Gerais.

O Procon-MG apresentou em sua sede, na Rua Goitacazes, 1.202, na última terça-feira, 25, o veículo-laboratório móvel para análises de combustíveis, que será o mais novo instrumento de fiscalização da comercialização de combustível em Minas Gerais.

_MG_9724 facebook

O projeto, desenvolvido pelo servidor do Procon, Luiz Otávio Teixeira, especialista em química, é inédito no País e foi custeado com recursos do Fundo Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (FEPDC).
_MG_2500 facebook

O novo veículo foi apresentado aos integrantes do Conselho Gestor do FEPDC e servidores do Procon-MG. De acordo com o responsável pelo projeto “com os instrumentos do veículo, teremos mais agilidade nas análises coletadas, sem depender dos resultados de outros laboratórios, como ocorria anteriormente”.

Com a utilização do veículo, a fiscalização do Procon-MG terá condições de analisar a qualidade da gasolina, do álcool combustível e do óleo díesel comercializados no próprio posto de revenda e havendo irregularidades tomar imediatamente as medidas legais, como a interdição das bombas.

_MG_9733 copy facebook

 

Anúncios

6 passos para te ajudar a ficar livre de golpes bancários pela internet

Os riscos de fraude por uso de documentos roubados ou perdidos, clonagem de informações e uso de conta corrente e cartão de crédito por pessoas mal intencionadas são potencializados com as transações realizadas pela internet e o uso de eletrônicos como tablets ou smartphones.

São frequentes notícias de desmonte de quadrilhas especializadas em fraudes bancárias, que trazem transtornos para as pessoas e prejuízos às instituições financeiras.

Por conta disso, é preciso ficar atento a qualquer movimentação fora do comum em contas bancárias. “Recomendamos que todos sempre acompanhem suas movimentações bancárias e cuidem da segurança de suas informações”, alerta Claudio Conceição, consultor de Negócios de Finanças e especialista em crédito na TransUnion Brasil – empresa responsável pelo desenvolvimento de softwares e soluções para automação de análise de crédito, risco e fraude.

A seguir, veja seis passos que ajudam a combater a fraude bancária, segundo o especialista.
1. Monitore sua conta: acompanhe todas as suas movimentações bancárias. Monitore a sua conta para identificar potenciais movimentações estranhas.

2. Não responda mensagens: tenha atenção com os contatos feitos por instituições financeiras, por telefone e especialmente por e-mail. Não se deve responder mensagens que demandam confirmação ou entrega de dados cadastrais ou senhas.

3. Suspeite de contatos: desconfie de ligações de credores, se você não tem dívida. Um criminoso pode ter usado sua identidade para abrir contas ou fazer compras, deixando as dívidas para você. Crianças e idosos também podem ser alvos para ladrões que operam dessa forma.

4. Desconfie de problemas online: se você não conseguir acessar a sua conta online, entre em contato imediatamente por telefone com o seu banco. Alguém pode ter roubado sua senha na tentativa de usar sua conta.

5. Proteja seu acesso: instale programas antivírus e sistemas de proteção contra malware. Softwares maliciosos podem estar armazenando as suas informações enquanto você navega. Existem programas que podem ajudar a prevenir isso.

6. Salve seus contatos: Mantenha registro das conversas com ouvidorias dos bancos em caso de problemas. Anote o número do protocolo e cobre prazo para resolução de eventuais problemas.

Fonte: MSN.com

Prestadoras de serviço de telecomunicações terão de criar conselhos de usuários

Brasília – A exemplo do que ocorre com as concessionárias de telefonia fixa em regime público, as prestadoras de telefonia móvel, internet, TV por assinatura, telefonia fixa de regime privado e de serviço móvel especializado com mais de 1 milhão de clientes terão de criar conselhos de usuários e representantes de entidades de defesa do consumidor – eleitos pela sociedade – para apresentar propostas de melhoria na qualidade dos serviços.

A determinação está no novo Regulamento de Conselho de Usuários publicado hoje (21) no Diário Oficial da União (Resolução nº 623). Também será atribuição do conselho o envio de relatórios sobre o desempenho das empresas à Superintendência de Relações com os Consumidores da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que os encaminhará ao Comitê de Defesa dos Usuários de Serviços de Telecomunicações.

Cada empresa deverá ter um conselho de usuários por região do país, exceto naquelas em que tiver menos de 50 mil assinantes. Neste caso, a implantação é facultativa. Em nota, a Anatel informou que o novo regulamento tem como origem as 340 contribuições obtidas durante a consulta pública

Edição: Nádia Franco

Fonte: Agência Brasilbanner